Terça-Feira, 24 de Janeiro de 2017

7 grandes tendências para o turismo em 2017

Por Raisa Laureano *

Entra e sai ano, viajar continua sendo uma das principais formas de lazer no mundo inteiro. Assim como a indústria de Viagens e Turismo tem se desenvolvido ao longo dos anos, o modo de viajar também mudou, acompanhando as transformações tecnológicas, sociais e comportamentais dos viajantes. Vemos aqui, sob o olhar da especialista no assunto, Jeanine Pires, 7 tendências significativas que poderão conduzir as estratégias da indústria e irão expandir os horizontes do turismo em 2017.

A primeira direção do Turismo para este novo ano a ser observada é voltada para os destinos locais. A busca por viagens a lugares próximos será mais forte em 2017, assim como a valorização do regional. “No Brasil será ainda mais perceptível: como resultado da instabilidade econômica dos últimos tempos, o turista brasileiro está buscando destinos mais próximos para passar as férias”, explica Jeanine.

Outro conceito que já se apresentou em 2016 e fica ainda mais notável neste ano é o de compartilhamento. Popularizado através de ferramentas como Airbnb e Uber, atividades de viagem realizadas através de instrumentos compartilhados podem ser consideradas “parte indissociável da nova era do Turismo”. Além de tornar possível a estadia e locomoção em um destino pela redução de custo, ferramentas como essas promovem a vivência no destino e o turista experimenta a cultura local com mais facilidade.

Colocando em movimento toda a cadeia desta nova etapa do turismo, está a busca pela experiência. Agindo de forma persuasiva e bastante consistente, principalmente no que diz respeito às tendências de viagem dos millennials, a procura por viver o destino e não só visitá-lo é aposta certa para o turismo no mundo inteiro. “É uma tendência que mexe com toda a engrenagem da indústria, pois faz referência aos diversos aspectos da viagem: a cultura, o meio de transporte, a hospedagem, a gastronomia e o comportamento”. É um conceito que se apresenta com muita força para 2017 e ganha a atenção de quem promove o turismo.

Em decorrência da busca pela “experimentação” do destino, há uma via secundária importantíssima para a promoção e marketing de destinos, que é o chamado turismo de descoberta. Pegando gancho na vontade do turista de viver a cultura, o turismo de descoberta está aliado à unicidade da experiência. Nesse ponto, lugares que surgiram recentemente como opção de turismo possuem mais visibilidade por serem “inéditos” ou pouco explorados. “É uma tendência também dos millennials e o apelo aqui é apreço pela autenticidade da experiência”. Pelo caráter de conquista e adrenalina, a tendência é que destinos de aventura também sejam procurados pelos “turistas descobridores”.

Mais uma propensão dos turistas do futuro, a ideia de praticidade estará presente como nunca. No turismo, o “menos é mais” recebe outras aplicações, que vão desde a hospedagem, com a popularização dos pared back hotéis (hospedagens mais espaçosas e com menos movelaria), até a escolha de utensílios na viagem. Nesse sentido, funcionalidade é uma das palavras-chave, trazendo à tona a especificidade dos serviços, oferecendo ao turista o que ele considera prioritário, velocidade de internet, itens de conforto, movelaria da hospedagem, tipo de ornamentação etc. Apontada pelo Relatório de Tendências Globais para 2017 da World Travel Market, a preferência pela praticidade torna o gasto do turista mais inteligente. “O turista escolhe pelo que quer pagar: Wi-Fi, disponibilidade de alguns eletrônicos, até as roupas de viagem, que já têm a possibilidade de serem alugadas para que o viajante não perca tempo com malas. A personalização está inserida na experiência também”, explica a especialista.

As influências da tecnologia também moldam a novo jeito de viajar. Outra tendência apontada pela WTM, as inovações tecnológicas aplicadas ao turismo são diversas e se revelam antes mesmo da viagem começar: na escolha do destino! Através de lojas-conceito com realidade virtual, os turistas em potencial têm uma experiência prévia do destino, o que ajuda na escolha do pacote de viagens e encoraja os turistas. O uso de inteligência artificial, sobretudo no atendimento, é também um dos destaques da inserção da tecnologia na indústria. “2017 será um ano de onde a particularidade estará mais presente nas viagens e são os próprios turistas que têm determinado isso. O uso de uma interação inteligente promovido pela tecnologia traz uma programação específica para tirar dúvidas, realizar pesquisas e auxiliar na prestação de serviços do turismo para cada turista individualmente”.

Por fim, mas não menos importante temos o crescimento do que está se tornando conhecido como bleisure travel, uma mistura de business com leisure, ou seja, viagens de trabalho associadas a lazer. A definição emerge ainda como um estilo de vida: viajantes que estão a trabalho e aproveitam para passear, acrescentando, muitas vezes um ou dois dias a mais na estadia. É um caminho já alcançado por pesquisadores da indústria, visto que, de acordo com dados oficiais do Ministério do Turismo, o percentual de crescimento de viagens a trabalho no Brasil foi de 400% de 2005 a 2015. “Essa tendência nós encontramos também pela abrangência de estudos para promoção de viagens de negócios, que deverá permanecer em movimento no ano de 2017”, finaliza Jeanine Pires.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
Topo