Segunda-Feira, 27 de Fevereiro de 2017

Allpoints é também uma OTA (Online Travel Agency)

Marcelo Bicudo, CEO e fundador da Allpoints

Lançada em dezembro de 2015, a Allpoints transformou-se em menos de 12 meses, no maior programa de fidelidade do mundo, com mais de 500 mil hotéis, após a parceria com a Kalingo Travel Solutions, empresa com sede em Cingapura. Mas o que poucos sabem ainda é que a Allpoints também é uma OTA (Online Travel Agency), lançada em novembro do ano passado no endereço eletrônico hoteis.allpoints.com.br.

Pensando com a cabeça de hoteleiro, Marcelo Bicudo, CEO e fundador da Allpoints, desenvolveu uma solução que é sonho de muitos proprietários de redes e empreendimentos do mundo todo: oferecer uma OTA que não cobra comissionamento, fornecendo ainda, todas as informações dos clientes que fazem as reservas na Allpoints para os meios de hospedagens.

“Oferecemos as três premissas básicas para que uma OTA se mantenha no mercado: fácil navegação, bons preços e ainda, delineamos a reputação dos hotéis, que é feita em parceria com a TrustYou. Lançamos a plataforma em novembro de 2016 e existem hotéis que já contam com mais de três mil avaliações”, declara Bicudo.

O portal visualiza também os preços das principais OTA’s do mercado, que são muito parecidos com os da Allpoints. Detalhe: ela é a única OTA do mundo que oferece um programa de pontuação, como das companhias aéreas, onde os pontos podem ser trocados por diárias, milhas ou produtos do catálago. Ou seja, além de pagar um preço menor, o hóspede acumula pontos. Essa vantagem só a Allpoints tem.

“O maior objetivo é ajudar os hoteleiros a equilibrar a sua produção oferecendo uma plataforma que não cobre altas taxas de comissionamento e ainda fidelize o cliente para eles. “Podemos dizer que somos uma OTA que é o sonho de todo hoteleiro”, comenta Marcelo.

Outro ponto de extrema importância é que todos os clientes que acessam a Allpoints para fazer reservas têm suas informações divulgadas para os hotéis, ação que é feita após o check-in. “Não há razão para não informar os detalhes dos clientes já que as reservas são feitas em uma plataforma única”, explica o CEO da Allpoints.

Como funciona? O custo para os hotéis varia entre 3 e 7%, dependendo da forma de negociação, que pode incluir um número específico de diárias, as famosas permutas. “O custo se resume no valor da transação do cartão de crédito, que já existe, mais o custo do ponto, que varia de hotel para hotel, e está entre 3 e 7%. A variação se dá por conta do hotel poder ou não incluir uma permuta na negociação. Com permuta o índice é menor, favorecendo ainda mais o benefício para o hotel”, explica Bicudo.

Mundialmente, os programas de fidelidade têm uma variação de custo para os hotéis na emissão dos seus pontos entre 5 a 7%. A Allpoints encontrou uma maneira de diminuir esse percentual, utilizando a moeda que os hotéis preferem negociar, as pernoites.

A Allpoints tem como clientes membros do programa mais de 200 hotéis, dentre as redes Transamérica, Blue Tree, rede Plaza, Rio Quente, Othon, Vert Hotéis, redes Manaus e Mato Grosso, entre outras. “Como os custos para adesão são mínimos, estamos tendo uma grande aceitação no trabalho de prospecção e a taxa de conversão tem sido extremamente alta” finaliza.

Equipe da Redação

Topo